Amor de Segunda

Há um desespero dos que amam,
Para com os desesperados
do falso amor.
E de fulguras promessas iridescentes
O coraçao ludibriado prova dissabor.
Ah ! Se houvesse tempo a ser desfeito o meu ardor…
Nunca mais amaria sem prever
A morte do meu amor!

(Desenho de Vinícius de Miranda)

Camila Reffatti

Camila Reffatti

Sei que quando sinto, eu sou. Então vou sendo agora, depois agora no futuro, mas nunca esquecendo do agora que já foi. Vou sendo, até que não cabe mais ser agora.

Sem comentários; deixe o seu:

Seu comentário é importante!

Your email address will not be published.

Você pode usaratributos e tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>