Marco Aurelio Souza Mendes

Marco Aurelio Souza Mendes

Nascido na cidade de São Paulo, em 1994, atualmente cursa o bacharelado em Direito na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no meio literário com o pseudônimo de Aurélio Mendes. Possui uma coletânea de contos publicada pela Editora Multifoco chamada Pensamentos Singulares (2013) e uma novela política pela Editora Subsolo, Abapanema: o lugar das coisas ruins (2015). Em processo de editoração de sua terceira obra, "A manhã de J.H. e outros contos" pela Editora Subsolo, fruto da aprovação pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura (2015).

Paredes brancas que riem

Se esta rua, se esta rua fosse minha Eu mandava, eu mandava, ladrilhar. Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhante, Pa…

1 Compartilhamentos

Destinos Cruzados

Demosiele pensara no significado do que é ser livre e de que forma a liberdade é exercida pelos homens. O corpo é o d…

1 Compartilhamentos

A manhã de J. H.

Quando acordou e se olhou ao espelho, viu um reflexo estranho, uma imagem distorcida de si e ofuscada frente ao brilh…

1 Compartilhamentos

Heroína

As paredes estavam recobertas daqueles recortes ziguizagonais e macabros das inferências daqueles meses. ─ “Como sufo…

0 Compartilhamentos

Fragmentos

“                                                 ” . Quando tentou escrever das passagens da semana e metrificar o c…

1 Compartilhamentos

Felicidade Clandestina

Exorto o título lispecteriano porque não há talvez melhor conto que mostre em como a felicidade é feita de forma subl…

0 Compartilhamentos

Acorda-te II

E a poeira ela enchia os olhos. Vazio. Seco. Que o sol queimava mesmo era de surrupiante vontade depressiva próxima d…

0 Compartilhamentos

Acorda-te

Tem uma forma de dizermos acerca da pessoalidade: nem é nome, nem sobrenome, nem foto particular. Lembrança. As pesso…

0 Compartilhamentos

A vida acaba em Tango

Um cheiro alcoólico. Aspirálcool das minhas narinas. Meus olhos são desconhecidos para o ambiente, tal como os olhos …

0 Compartilhamentos

Homem Zé

Embuscada e um caminhante escuro, nebuloso, um universo redomado por fantasiosa mente. Mas têmpora enxaqueca o deixav…

0 Compartilhamentos

Édipo, assassino

Naquele beco imundo, tão nefasto quanto minha atual condição de homem, eu me arrastava para tentar deixar para trás a…

0 Compartilhamentos