Página Cultural Página Cultural Agenda Cultural Roteiro Uberlândia Classificados Contato
Facebook Twitter Google+ Feed

Destaques


- Fez Medicina Veterinária, especialização em Planejamento Ambiental, mestrado em Geografia e atua na área ambiental. Também administra o Uai Q Dança/Bevilaqua Ambiente & Cultura. Bloga em eduardobevilaqua.blogspot..

Moving Planet

Dia 24 de setembro ocorre uma manifestação mundial por soluções para a crise climática do nosso planeta. Em milhares de cidades do mundo, pessoas participam voluntariamente, abandonando seus veículos em casa e se locomovendo de um modo mais sustentável, a pé, de bike ou de outro modo não poluente. Acontece desde 2009 e é considerada a maior mobilização por um dia livre de combustíveis fósseis.
Fica a sugestão para que cada um de nós abra mão do carro, moto, ônibus, lancha, jet ski ou avião e dediquemos a caminhar, pedalar, nadar, remar, balançar, velejar, enfim movermo-nos sem consumo de combustível fóssil e assim contribuirmos, ainda que timidamente, com esta causa comum que é combater o excesso de gases de efeito estufa que causam mudanças climáticas e colocam em risco a nossa existência na Terra.
As emissões atuais desses gases equivalem a 50 gigatoneladas (Gton) de “CO2 equivalente” por ano, mas estima-se que o planeta absorva apenas 10 Gton, o restante (40 Gton) ficam acumuladas na atmosfera.
Especialistas afirmam que um carro do tipo “popular” que circule em torno de 30 km/dia lance anualmente 1 tonelada de CO2 na atmosfera, quantidade igual à emitida por um boizinho no pasto, ou por cada passageiro que faça uma viagem de avião para a Europa.
O mais grave é que até 2030 a demanda de energia tende a dobrar, enquanto devemos cortar as emissões drasticamente.
As contas não fecham, então nada como flanar, por saúde e um clima mais ameno. E para quem acha que uma ação individual é muito pouco, insignificante perante a magnitude do problema, vale lembrar o grande Jorge Luis Borges, autor do Livro dos Seres Imaginários, que depois de voltar de uma viagem ao Egito, escreveu que ao chegar perto de uma das pirâmides, abaixou-se, pegou um pouco de areia com as mãos e pouco adiante, deixou escorrer por entre os dedos e murmurou baixinho: “Mudei o Saara.”

Assista ao vídeo da campanha (no site Moving Planet tem uma versão com legenda em português).










Gostou? Deixe um comentário:

Seu comentário só será publicado após aprovação do moderador.

*