Inicial » Belo Horizonte » Belo Horizonte recebe monólogo “Muro de Arrimo”

Belo Horizonte recebe monólogo “Muro de Arrimo”

Share on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on FacebookPin on PinterestShare on RedditDigg thisEmail this to someone

Belo Horizonte – A trama, que é baseada em uma notícia publicada no jornal, revive a copa do mundo no Brasil, por meio do personagem, o pedreiro Lucas. Ele está no alto de um arranha-céu ouvindo ansiosamente no seu radinho de pilha o locutor (Cléber Machado) falar sobre o pré-jogo da semifinal da Copa do Mundo (o fatídico jogo entre Brasil e Alemanha 7 x 1), enquanto tenta concentrar-se em sua tarefa de construir um muro no alto de um prédio. Lucas contrasta momentos de euforia e meditação.”Ele apostou metade do salário dele que o Brasil vai ganhar e, a partir desse momento, ele começar a dialogar com o rádio, com a cidade, com o operário que está do outro lado da avenida, em uma arranha-céu e faz gestos, grita. A peça lida com o momento antes do jogo quando impera o otimismo, a alegria. Todo mundo já sabe o que aconteceu, mas o personagem não”, explica o diretor.

A presença do humor do povo e a sua enorme paixão pelo futebol são destacadas. As referências originais do texto, que eram de 1974 referente a Brasil e Holanda foram transportadas para 2014, no dia do jogo da semifinal Brasil e Alemanha, no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

Muro de Arrimo recebeu em seu lançamento em 1975 os prêmios Molière e Anchieta de melhor autor, contou com montagens históricas no Brasil. A mais consagrada delas contou com a direção de Antônio Abujamra e Antônio Fagundes no elenco. O texto chegou a ser montado em 20 países, além de ser traduzido para 12 idiomas.

Na versão atual o espetáculo foi escolhido pelos leitores da Folha de São Paulo como a melhor estreia teatral de 2014 e conquistou os prêmios “Aplauso Brasil” nas seguintes categorias: Direção: Alexandre Borges, Atuação: Fioravante Almeida, Trilha: Otto, Iluminação: Guilherme Bonfanti e Melhor espetáculo de produção independente.

A montagem conta com a participação em off do locutor Cléber Machado, assim como a trilha sonora assinada pelo cantor Otto. O cenário é formado por andaimes, como em uma construção. Ao fundo, projeções com imagens da cidade de São Paulo.

Ficha Técnica:

Texto: Carlos Queiroz Telles
Direção: Alexandre BorgesElenco: Fioravante Almeida
Locução: Cléber Machado
Trilha Sonora: Otto
Luz: Guilherme Bonfanti
Cenário e Figurino: Carila Matzenbacher
Direção de vídeo: Rubens Rewald e Laysa Diniz
Preparação Vocal: Madalena Bernardes
Preparação Corporal: Wolfgang Parnek
Fotos: Lenise Pinheiro

Sinopse

Alexandre Borges dirige premiado monólogo escrito por Carlos Queiroz Telles e famoso pela montagem de 1975, que tinha Antonio Fagundes no papel principal. A história se passa no dia do jogo em que a seleção brasileira é eliminada pela Holanda na Copa do Mundo da Alemanha, em 1974. No alto de um prédio em obras, Lucas (interpretado por Fioravante Almeida) está construindo um muro. Enquanto trabalha, o pedreiro revela seus sonhos e infortúnios enquanto escuta a partida pelo rádio.

CARLOS QUEIROZ TELLES (Autor):

Carlos Queiroz Telles, paulista, advogado, publicitário, professor, jornalista, poeta e dramaturgo, teve sua primeira peça apresentada em 1958. Foi “A Ponte”, que marcou a fundação do Grupo de Teatro Oficina. Mais tarde, seguiram-se: Frei Caneca (72), A Semana (72), A Viagem (72), O Jogo do Poder (74), Porandubas Populares (75), O Processo de Joana (75), Muro de Arrimo (75). Por estes trabalhos recebeu os prêmios Moliére e APCA referentes aos anos de 72 e 75. “A Bolsinha Mágica de Marly Emboaba” e “Muro de Arrimo” tiveram montagens na França, Espanha, México, Bélgica, Holanda entre outros países da Europa e América Latina. Escreveu para crianças “Draculinha a vida acidentada de um vampirinho”, “A Revolta dos Perús”, entre outras. Faleceu em 1993. De sua obra teatral ainda são inéditos os textos para teatro: “O Vestibular”, “A Heróica Pancada”, “Banzai Brasil” e “Paulista Revista”.

ALEXANDRE BORGES (Adaptação e Direção):

Comemorando 30 anos de carreira em 2015, Alexandre Borges se presenteia com sua nova paixão à direção. Nas últimas décadas tem se destacado como um dos maiores atores do Brasil. Do elenco fixo da Rede Globo, já atuou em 27 novelas e 23 especiais na emissora. Além disso, 30 filmes marcam a sua trajetória nas telas de cinema. No teatro, Alexandre tem em seu currículo espetáculos apresentados no Brasil e no exterior e foi um dos fundadores do revolucionário Grupo Boi Voador; dirigido por Ulysses Cruz. Em “Muro de Arrimo”, ele retorna aos palcos, agora como diretor. Muito conhecido no Brasil como ator, sua direção neste projeto é um marco de novos tempos na carreira do artista.

FIORAVANTE ALMEIDA (Ator):

Em MURO DE ARRIMO, Fioravante interpreta LUCAS, nosso protagonista. Integrou a Cia. Uzyna Uzona no Teatro Oficina, por 10 anos e ao lado de Zé Celso participou de inúmeros espetáculos, como a celebrada adaptação de OS SERTÕES, onde seu trabalho foi reconhecido pela revista alemã Theaterheute. No cinema atuou em “A Montanha”, “Augusta”, “A Encarnação do Demônio” e “Doze trabalhos”. Já na televisão participou das séries “9mm” na FOX, “Descolados” na MTV além de novelas como “Tititi” da Globo e “Vende-se um Véu de noiva” no SBT.

Serviço:

Espetáculo “Murro de Arrimo”, com Fioravante Almeida e direção de Alexandre Borges
Datas: 19 e 20 de junho de 2015 (sexta e sábado)
Local: Teatro Bradesco(Rua da Bahia, 2244 – Lourdes – Belo Horizonte/MG)
Horário: 20h
Ingressos: R$90(inteira)/R$45,00(meia-entrada) na bilheteria do Teatro ou pelo site Ingresso.com

Informações: (31)3516-1360
Classificação: 12 anos
Duração: 50 min.

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados.


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>