Como viver a vida com equilíbrio? Aprenda e pratique!

Desesperar pra quê? Ninguém falou que seria fácil, mas eu posso lhe garantir que você já passou por situações mais difíceis. Temos a mania de olhar somente para o momento em que estamos vivendo, desprezando todo um passado que se acumula atrás de nós.

Porém, se tivéssemos o costume de olhar para trás percebendo as inúmeras e grandes vitórias que já conquistamos frente às dificuldades naturais da vida, sentir-nos-íamos e nos saberíamos mais fortes, mais capazes e mais aptos a vencer qualquer obstáculo do presente e do futuro.

Lembrar-nos-íamos de que ninguém falou que seria fácil e aceitaríamos, mais sinceramente, essa verdade: viver é lutar para que consigamos evoluir na condição de seres em permanente construção. Entenderíamos que a felicidade não é um presente, mas, sim, uma conquista. Uma conquista que pressupõe fazer escolhas e tomar decisões. Uma conquista que pressupõe autoconhecimento e coragem. Apenas isso: uma conquista.
Uma conquista

Aprenda a viver bem!

Uma conquista que foi iniciada há dias, meses, anos (ou milhares de anos?) atrás e construída vitória após vitória das nossas coragens sobre as nossas dificuldades. Ninguém nasceu sem antes ter lutado contra milhões de outros espermatozoides pela supremacia no óvulo. Ninguém veio ao mundo sem antes ter lutado por nove meses no ventre da mãe, sobrevivendo e se desenvolvendo a partir, apenas, do que outra pessoa lhe enviava como recursos.

Ninguém superou os primeiros meses de existência sem antes ter vencido bactérias, vírus, germes e uma série de microrganismos capazes de dizimar a humanidade. Ninguém passou pela infância e chegou à vida adulta sem antes levar tombos, ralar os joelhos, cortar as mãos, suar o suficiente para encharcar inúmeras roupas, sofrer decepções ou superar febres e doenças que, naturalmente, aparecem, acometem ou acontecem com todo mundo.

Muito provavelmente, você já superou dificuldades e enfrentou adversidades muito maiores do que as dificuldades e adversidades que está enfrentando agora e, mais provavelmente ainda, podendo contar com menos recursos, graus de entendimento e experiências acumuladas do que pode contar agora.

Se você olhar para trás, para as vitórias que já alcançou, verá que não foram poucas, nem insignificantes, nem superficiais. Foram, em verdade, cruciais para que você chegasse até aqui em condições de continuar avançando.

Lixo mental

Aprenda a viver feliz!


Se, hoje, as coisas lhe parecem mais difíceis do que antes, pode ter certeza de que isso não tem nada a ver com a dificuldade em si – o que pode ter mudado foi a sua cabeça, provavelmente mais cansada, talvez desanimada, possivelmente cheia de novas visões distorcidas sobre a realidade e a sua condição dentro da realidade. Distorções que são frutos do lixo mental que acumulamos com a passagem do tempo.

Portanto, como ocorre com um computador, de tempos em tempos temos a necessidade de “esvaziarmos a lixeira”, “formatamos a máquina”, “limpar o histórico” e liberar espaço no sistema. Isso não significa que o computador não tenha realizado grandes tarefas no passado e saído vitorioso em seus intentos.

Foi, justamente, por ter trabalhado e realizado tantos projetos bem sucedidos que aconteceu de ele também ter produzido conteúdo que necessita ser descartado. Efeitos colaterais. Efeitos colaterais que não excluem, nem invalidam, os processos centrais. Mas que pedem limpeza.
Em se tratando de seres humanos, “limpar-se” significa olhar para dentro, investigar os sentimentos, mergulhar em si mesmo, questionar valores, crenças, atitudes, procurar alguém que possa nos ajudar a fazer isso, reconhecer as vitórias do passado e acreditar no poder do hoje e do amanhã em nos oferecer oportunidades de sermos felizes por meio de nós mesmos.

Das nossa próprias capacidades que, às vezes, encontram-se apenas confusas ou atordoadas em operar com eficiência, mas que, muito mais do que em um computador, possuem uma aptidão infinita para serem reelaboradas, resgatadas, reorganizadas e reeditadas.

Portanto, por que se desesperar? Procure ajuda e descubra como os seus vários anteriores sucessos lhe tornaram capaz de lutar sempre que necessário. Viver é lutar, manter-se em movimento, renovar energias, planos e estratégias.
Qual é a sua estratégia?

Por isso, pare e pense: você tem problemas ou, na verdade, não está tendo mais estratégias capazes de lhe oferecer respostas? Não raras vezes, o que enxergamos como um “problema” não passa de uma falta de “estratégia” frente à questão. Não será esse o seu caso? Repito: não será esse o seu caso? Pense nisso.

Falta de estratégia para lidar com as questões da vida nos deixa com a sensação de impotência. E impotência pode nos levar ao desespero. Porém, agora você já sabe: seu desespero é evitável. Todo desespero é evitável desde que tenhamos uma estratégia para vivermos.

Portanto, pergunto: qual é a sua estratégia para viver? Me ajude escrevendo algo nos comentários. Obrigado!

LEONARDO ABRAHÃO

Psicólogo responsável pelo projeto Janeiro Branco.

Página Cultural

Para contribuir com ideias, sugestões e informações, use o e-mail: pagcultural@gmail.com.

Sem comentários; deixe o seu:

Seu comentário é importante!

Your email address will not be published.

Você pode usaratributos e tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>