De algum tempo

Eu era um pouco eles
E eles um pouco eu
Naqueles versos perdidos
Pelo tapete da sala
Pegadas leves de gato arisco
Que não se arrisca um pio
Um miado para ser exata
Nos vãos dos quartos
Onde se esconde a poesia
Breve e insana
Como os dias santos que passei
Será?!
Dúvidas domingueiras
Febris como o tempo
Que corrói entranhas
E destila estrofes
Vomita beleza
Destrói cultura
Regurgita a alma
E se afunda no sofá macio
Do mais vil esquecimento
Mas rememora
E celebra encantos
Porque viver não é assim tão breve…

Christyene Alves Faleiros

Christyene Alves Faleiros

Christyene Alves Faleiros é poeta, cronista, mestre de Reiki e advogada. Tem poemas publicados na antologia "Camarinhas de Poesia" e comanda o blog Prosa Verso e Encanto.

Sem comentários; deixe o seu:

Seu comentário é importante!

Your email address will not be published.

Você pode usaratributos e tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>