Genealogia quase ilustre

Ananias, um parente muito próximo dos descendentes diretos de Noé, gerou Jacó Jr., que depois da arca seca, em terra firme e com muita lábia, convenceu Lenora a gerar Alcebíades no então abandonado compartimento dos gorilas. De Alcebíades a Theodore Jonathan, mais conhecido como TJ, foram umas 230 gerações, das quais praticamente nada se sabe. Jonathan, o bocejador incorrigível, gerou Lucy, aquela que jamais perdia um comício. Lucy gerou Abelardo, o ser humano mais rápido do seu tempo na palitagem de dentes, cuja agenda de palestras sobre o assunto estava quase sempre lotada. Abelardo era funcionário público nas horas vagas, e em uma de suas viagens a trabalho acabou gerando Adolpha, que do pai só ganhava acenos distantes e uma ou outra bala de goma com validade vencida. Adolpha, embora com motivos de sobra para não ter libido nem ânimo de procriar, gerou os gêmeos Natan e Carolino, que juntos abriram cartório em conhecida cidade e passaram também a receber do avô, de vez em quando, as costumeiras balas de goma – agora enviadas por sedex. Natan optou pelo celibato, ao contrário de Carolino, que trouxe ao mundo extensa prole. Da prole de Carolino destacou-se o mal-humorado Rubão, comprador de ferro velho que 16 anos antes de morrer fabricou o próprio caixão, o único que se tem notícia construído em ferro galvanizado. Rubão deixou como herdeira a ruiva Pâmela, nascida com orelhas triplas. Pâmela gerou Quirino, dono da loja “Rei das Persianas” e eleito por três vezes, não consecutivas, segundo secretário do Clube dos Diretores Lojistas de Sertão Grande. Quirino gerou Jorgito, bom de saltos ornamentais mas retardado em controle de estoque. Em segundas núpcias com uma balzaqueana chamada Maria Dalva, Jorgito foi pai de oito crianças, sete delas vitimadas pelo escorbuto. Sabrina, a que sobrou, também morreu cedo – aos 22 – porém a tempo de dar a luz a Sergei, embaixo de uma mesa de pôquer. Do pano verde da mesa, Sergei talvez tenha herdado a inclinação para lidar com grandes extensões de soja, que lhe deram fortuna para contrair matrimônio com Deoclélia Antonia, filha do abastado Juan Pablo de Luccrétia, cujo conglomerado de fábricas de isqueiros abastecia toda a ilha de Cuba em seus dias de glamour. Dessa união, porém, não há descendentes conhecidos, o que leva a crer que a milenar linhagem ali conheceu o seu ponto final.

Marcelo Sguassabia

Marcelo Sguassabia

Redator publicitário, pianista diletante, beatlemaníaco desde sempre e amante de filmes e livros que tratem de viagens no tempo.

Sem comentários; deixe o seu:

Seu comentário é importante!

Your email address will not be published.

Você pode usaratributos e tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>