Todo dia é “Hoje”

Seu Xisto e Dona Maria Graciosa estavam comemorando as Bodas de Ouro.

A festa estava animada, quando um dos netos do casal se aproximou e perguntou:

_ Vovó e vovô, como vocês conseguem ficar tanto tempo juntos?

Com toda a paciência do mundo, Seu Xisto respondeu:

“_ Tudo começou quando eu tive a coragem de me declarar para a sua avó. Eu já era apaixonado por ela, mas com medo de perder até a amizade, nunca me declarava. Em um belo dia, a coragem chegou. Aconteceria uma festa e eu juntei as forças para convidá-la. Eu sabia que se não fizesse, outro rapaz o faria. Então, eu perguntei a ela:

_ Você se importaria em me acompanhar no baile? – Mas com receio de que ela me negasse um pedido, que eu considerava tão ousado, acrescentei ao meu convite: _ Se você aceitar, será apenas por hoje.

Ela aceitou.”

Ao perceber que o netinho não ficara satisfeito com a resposta do avô, Dona Maria Graciosa, carinhosamente, explicou:

_ Querido, é que todo dia é hoje.

Com esse texto eu dou um “até breve” aos internautas que curtem o site Página Cultural e a minha coluna. Estou em uma fase decisiva do meu projeto de Doutorado, cuja tese pretendo concluir até meados de 2015 e preciso de um tempo de dedicação exclusiva aos estudos. Além disso, creio que uma “pausa” será salutar tanto para mim, quanto para vocês que lêem pacientemente os meus posts. Desde 2009, quando comecei a escrever para o Página, foram quase cinco anos praticamente ininterruptos. Mais de 60 textos, dois lançamentos de livros próprios e um em “oito mãos” e muitos comentários e discussões saborosas. Continuo na condição de colunista do site e a pausa também não me impedirá de, vez ou outra, publicar um texto, só que não com a mesma regularidade. Registro aqui o meu agradecimento a todos vocês, internautas, e ao Página, que sempre contribuíram criticamente para a qualidade dos textos, fazendo da relação autor-público uma realidade dialética e horizontal. Estou convicto de que esse “espaço” é único na Internet. Então, até breve!

Paulo Irineu Barreto

Paulo Irineu Barreto

É escritor e Professor do IFTM. Doutor em Geografia Humana e Cultural e Mestre em Filosofia Política e Social. Pesquisa e escreve sobre Cultura, Educação, Filosofia, Geofilosofia, Geografia e Política.

2 Comentários
  1. Oi Mônica,

    Obrigado. A recíproca é verdadeira, também admiro o seu trabalho.
    Ah, não me esqueci das apresentações… rsrs
    Abraços

  2. Paulo… Todo dia é hoje! Grande! Admiração eterna pelo seu trabalho!!!
    Ainda estou no aguardo das apresentações marcianas!!! 😉
    Abraços!!!

Seu comentário é importante!

Your email address will not be published.

Você pode usaratributos e tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>